ABRAINC DEBATE INOVAÇÃO E O FUTURO DA INCORPORAÇÃO E DA CONSTRUÇÃO CIVIL NA TERCEIRA EDIÇÃO DO FILI

Abrainc

Abrainc News

ABRAINC debate inovação e o futuro da incorporação e da construção civil na terceira edição do FILI

Evento foi realizado nesta terça-feira, 5 de julho, em formato híbrido e reuniu grandes players do setor

Compartilhe:

7 de julho de 2022

A ABRAINC (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) realizou nesta terça-feira (05/07) a terceira edição do Fórum de Inovação e Liderança da Incorporação (FILI), em formato híbrido, presencial em São Paulo, e através de plataforma interativa. Com o tema: Compartilhar a Visão do Futuro, o evento promoveu importantes debates sobre inovação e novas tecnologias que farão parte do cotidiano do mercado imobiliário e da sociedade.

Luiz França, presidente da ABRAINC, fez a abertura do FILI 2022

Na abertura do evento, o presidente da ABRAINC, Luiz França, destacou que o setor passa por processos cada vez mais intensos de digitalização – incluindo as etapas de vendas, pesquisa e até registros online de imóveis -, e que isto deve abrir novas oportunidades para os players do setor. ‘Temos um desafio enorme no Brasil, com um déficit habitacional alto, e não à toa nossas empresas despertam interesse de investidores internacionais’, afirmou.

De acordo com ele, foram feitas cerca de 70 rodadas de investimentos em empresas do setor, movimentando em torno de R$ 6 bilhões.

França explicou que para os próximos dez anos, o mercado imobiliário terá que produzir mais 10,8 milhões de moradias – considerando dados de crescimento da população, casamentos, divórcios, maior longevidade dos brasileiros, tendência de pessoas viverem sozinhas, entre outros aspectos. Além disso, há um déficit atual de 7,8 milhões de habitações.

‘O volume que precisamos construir é grande, teremos que ser cada vez mais eficientes, e esse desafio passa, sem dúvidas, por mais inovação’, analisou França.

Tendências em 2040

No primeiro painel do dia, Giovanni Cordeiro, economista-chefe da consultoria Deloitte, apresentou o estudo ‘Comportamento do Consumidor e Tendências para 2040’. Ele destacou que o mercado imobiliário deve se adaptar a novas tendências das futuras gerações de consumidores que, aparentemente, não estão tão preocupadas em marcas e opiniões de terceiros.

Giovanni Cordeiro, economista-chefe da Deloitte, apresenta estudo sobre comportamento do consumidor e tendências para 2040

Cordeiro revelou que, além da personalização e facilidade, este novo público, que será predominantemente urbano (93% da população brasileira deve viver em cidades), vai buscar imóveis em regiões mais seguras e próximas de seu trabalho, e que 44% dos interessados em imóveis devem efetuar sua compra de forma 100% online.

Além disto, os imóveis deverão oferecer soluções adaptáveis para uma sociedade mais plural e dinâmica. ‘Ele tem que permitir conexão dos eletrônicos. A residência tem que se adaptar a um público plural e o ambiente no entorno tem que oferecer essa conveniência’, declarou.

O compromisso da liderança na Incorporação

No segundo bloco do evento, Fábio Tadeu Araújo, CEO da Brain Inteligência Estratégica, moderou um debate sobre inovação e ESG que contou com as presenças do diretor de RI e Investimentos da Cury Construtora, Ronaldo Cury; o CEO da MRV, Eduardo Fischer; o CEO da Yuny, Marcelo Yunes, e a Gestora de Desenvolvimento Humano e Organizacional e Assessora de Novos Negócios da Patrimar Engenharia da Patrimar, Patrícia Veiga.

Marcelo Yunes, Eduardo Fischer, Ronaldo Cury, Fábio Araújo e Patrícia Veiga

O grupo tratou do engajamento do setor nas práticas ESG e reforçou o foco em ações sociais. Eles ainda lembraram que a construção civil busca, no momento, ampliar novas tecnologias e inovações para dar mais eficiência e dinamismo na execução de seus produtos e serviços.

Eduardo Fischer comentou sobre o comitê de governança corporativa e inovação da MRV, que conta com equipe e orçamento próprios, o que permite à companhia tratar desses temas de forma contínua, mesmo em épocas de crise.

Ronaldo Cury também contou sobre as medidas tomadas dentro da construtora. ‘Criamos uma governança de inovação, seja em negócios futuros ou para operações presentes’, refletiu o executivo.

O CEO da Yuny Incorporadora, Marcelo Yunes, falou que momentos de crise exigem que as empresas, frequentemente, acelerem a inovação na gestão de processos, o que melhora as margens e a eficiência. ‘O desenvolvimento de produto é um trabalho constante’, disse.

Associados ABRAINC falam sobre inovação e novas tecnologias em suas empresas

Patricia Veiga, gestora de Desenvolvimento Humano de Novos Negócios da Patrimar, falou que inovar nem sempre significa gastar muito dinheiro. ‘É possível fazer melhor o que já fazemos sem grandes mudanças, apenas ajustando processos’, afirmou.

Soluções com foco em Produtividade

Na terceira parte do FILI 2022, foram realizados pitches com Guilherme Quandt, Diretor de Marketing e Estratégia do Sienge; Gustavo Brant, CEO da DocuSign; Danilo Igliori; VP e economista-chefe do Zap+ (Grupo OLX); e William Medeiros, Gerente Comercial da STO Brasil. O painel foi mediado por Bruno Loreto, CEO e founder da Terracotta Ventures.

Soluções com foco em Produtividade foi tema do 3º painel do FILI 2022

Loreto abriu o painel e falou sobre o potencial das startups para gerar mais eficiência aos negócios da construção civil e incorporação imobiliária.

Guilherme Quandt abordou a transformação digital e a integração da cadeia como alavanca de produtividade, sobretudo no período de pandemia.

Gustavo Brant explicou como a digitalização contribuiu para a manutenção de inúmeros projetos e negócios na pandemia, dentre eles, os imobiliários. ‘A assinatura eletrônica e a digitalização de documentos trouxe mais facilidades e reduziu burocracias e gastos’.

William Medeiros apresentou case realizado em cooperação com a Trisul, sobre inserção de solução de inserção de vigas intermitentes ao longo da altura do empreendimento da incorporadora, ligando as sacadas de unidades independentes. Ele também abordou a iniciativa de logística reversa de resíduos de obras que tem contribuído com a redução dos custos e impactos.

A transformação do mercado e as experiências através do ecossistema de soluções, como as procuras dos consumidores, com demanda por processos menos longos e experiência cada vez mais digitalizadas, foram abordadas por Danilo Igliori, VP economista-chefe do Zap+, do grupo OLX Brasil.

Os últimos painéis foram marcados por debates sobre tokenização e metaverso.

Inovações no Funding

Raymond Nasser, CEO da OrHub; Marcos Caielli, diretor de Operações Imobiliárias da B3 – Blockchain; e Rafael Ferreira, CEO da RET Capital, foram os palestrantes do 4º painel, que foi mediado pelo presidente da ABRAINC, Luiz França.

Raymond Nasser, CEO da OrHub; Marcos Caielli, diretor de Operações Imobiliárias da B3 – Blockchain; Luiz França, presidente da ABRAINC, e Rafael Ferreira, CEO da RET Capital

Eles abordaram o crescimento da tokenização imobiliária no Brasil e no Mundo nos últimos anos, com a inserção das moedas digitais e blockchain, e como esta tecnologia de vanguarda pode mudar todo o setor no médio e no longo prazo.

Os palestrantes explicaram que a partir da aquisição de tokens, os brasileiros poderão ser donos de imóveis inteiros ou até mesmo pequenas frações, e que isto pode facilitar não apenas investimentos, mas também se transformar em uma tendência de aquisição de casas e apartamentos para moradias no longo prazo.

Crescimento da tokenização imobiliária no Brasil e no Mundo, e a inserção das moedas digitais e blockchain foram temas debatidos no 4º painel do FILI 2022

Nasser, inclusive, tratou de desmistificar a vinculação total dos tokens com moedas virtuais, como o Bitcoin. ‘Não há relação entre moedas virtuais e a tokenização. Apesar do uso de blockchains na validação dos ativos, eles são coisas distintas’, destacou.

Metaverso

Ao final do evento, Fábio Tadeu Araújo, CEO da Brain Inteligência, discorreu sobre o impacto que o metaverso terá na sociedade atual e no comércio de produtos e serviços no futuro. Ele explicou que o mercado imobiliário não vai ficar para trás e que já há, inclusive, imóveis físicos e virtuais sendo comercializados neste novo conceito.

Fábio Tadeu Araújo, CEO da Brain, abordou o metaverso no mercado imobiliário no encerramento do FILI 2022

‘O mercado imobiliário no metaverso movimentou mais de 500 milhões de dólares em 2021 e pode dobrar de volume neste ano. Os negócios vão desde imóveis 100% imateriais, que existem apenas no mundo virtual, até imóveis físicos que passarão por um processo de blockchain. O metaverso já é uma realidade e vai fazer cada vez mais parte da nossa vida’, finalizou.

Match de Inovação

O Match de Inovação aconteceu no período da tarde, dentro do FILI, para conectar incorporadores e construtoras às empresas e startups que oferecem soluções inovadoras para o setor.

A ação foi dividida em três trilhas: Construtech, Martech/Proptech e Fintech, com reuniões one on one pré-agendadas com duração de 20 minutos, que garantiram 6 reuniões para cada empresa/startup participante.

Com o objetivo de melhorar a sua experiência em nosso site, coletamos informações por meio de cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade

Ok