COLUNA DO BROADCAST

Juro alto fará corporações com 'corda no pescoço' irem de 400 para 700

O aumento dos juros básicos, da inflação e o PIB patinando devem fazer grandes estragos entre as empresas mais endividadas. Um dos mais renomados reestruturadores operacionais e financeiros do País, Ricardo Knoepfelmacher, conhecido por Ricardo K. , afirma que o número de consultas por parte de companhias interessadas em processos desse tipo mais do que dobrou nas últimas semanas. Levantamento feito pela RK Partners, da qual Ricardo K. é sócio, mostra que existem hoje 400 empresas com dívidas acima de R$ 150 milhões e equivalentes a 3, 5 vezes a geração de caixa. Com os juros esperados de quase 10% no fim do ano, a perspectiva é que o número de corporações com a ‘corda no pescoço’ chegue a 700.

+Juros + Inflação e – PIB

‘As empresas não têm conseguido repassar a inflação aos preços de seus produtos, ao mesmo tempo em que têm visto aumento de insumos e margens declinantes’, diz K. ‘Com a Selic indo de 2% para 9, 5% em 1, 5 ano, o impacto para as empresas endividadas foi enorme’. Para ele, no primeiro trimestre de 2022 ficará mais tangível o efeito desse cenário.

RK e BBA criam fundo para endividada

Recentemente, a RK Partners e o Itaú BBA anunciaram a criação de um fundo de R$ 500 milhões para resgatar empresas em dificuldades, mas que tenham potencial de retomar o ritmo dos negócios. A captação deve começar no ano que vem.

METODOLOGIA.

Conhecido por ter feito a reestruturação do Grupo Odebrecht e das empresas de Eike Batista, Ricardo K. afirma que a metodologia que calcula o número de empresas fortemente endividadas é proprietária da RK. Usa dados da Serasa e outras bases privadas.

MAIS.

Graças à Conferência das Nações Unidas para Mudanças Climáticas (COP-26), governos e empresas estão empenhados em divulgar iniciativas para neutralizar a emissão de gases poluentes causadores dos desequilíbrios no clima. Mas essa corrida exigirá muito mais investimentos do que o desembolsado até aqui.

VERDE.

Estudo realizado pela consultoria Oliver Wyman, em parceria com o Fórum Econômico Mundial (WEF), mostra que será necessário triplicar o volume anual de investimentos em energia limpa, passando de US$ 1, 4 trilhão (média dos gastos anuais entre 2016 e 2020) para US$ 4, 3 trilhões até 2030 caso a humanidade esteja, de fato, comprometida em alcançar as metas de neutralidade de carbono estabelecidas para 2050.

LONGE.

Os aportes precisam ser direcionados para tecnologias como captura, armazenamento e utilização de carbono, geração de energia com hidrogênio, bioenergia, combustíveis sustentáveis para aviação e amônia verde. Essas inovações podem ser responsáveis por mais de 40% das reduções globais de gases causadores do aquecimento global até 2050 se usadas em escala comercial.

BEM LONGE.

O grande problema é que essas tecnologias estão em estágios iniciais. Ou seja: não estão prontas para uso em grande escala ou ainda são muito caras, em comparação com as alternativas existentes, como os combustíveis fósseis, grandes causadores do efeito estufa. A conclusão do estudo é que ainda dá para virar o jogo. Mas é preciso acelerar a mobilização de capital.

AIRBNB.

A Atlantica Residences e a incorporadora Yuny fecharam parceria para explorar juntas o mercado de locação residencial, que vem atraindo mais investidores institucionais. O acordo prevê que um empreendimento recém-lançado pela Yuny no Brooklin, zona sul de São Paulo, vai destinar parte de seus 680 estúdios para a Atlantica fazer a decoração, locação e manutenção, de olho em hóspedes de curta a longa temporada.

COMODIDADE.

Os apartamentos serão vendidos normalmente no mercado. A diferençaé que os compradores poderão contar com o serviço parecido com o Airbnb, mas com o expertise do grupo hoteleiro. A Atlantica Residences foi criada pela Atlantica Hospitality International – a segunda maior rede de hotéis do Brasil, tem 23 mil quartos e bandeiras de primeira classe como Radisson, Hilton e Ramada.

FORÇA.

O novo negócio de locação residencial da Atlantica já conta com três edifícios em São Paulo, com 500 apartamentos. Para a paulistana Yuny, a parceria é vista como oportunidade de diversificação das atividades. A empresa tem oito empreendimentos no radar que podem ser destinados ao negócio de locação.

DISPUTA

Pescadores em Granville, Normandia; França diz que Reino Unido tem até amanhã para autorizar mais barcos do país em suas águas

SOBE

Minas brasileiras dão retorno forte a gestora

A gestora Appian Capital Advisory teve taxa de retorno de 60% na venda de duas mineradoras brasileiras, por conta da crescente demanda por metais usados em baterias de veículos elétricos. A empresa, que investiu pouco mais de US$ 350 milhões na Atlantic Nickel e na Mineração Vale Verde, vendeu-as por um US$ 1 bilhão, na semana passada, para a mineradora sul-africana Sibanye-Stillwater.

DESCE

Com fracasso de greve, Santos opera normalmente

Sem sucesso da greve prometida pelos caminhoneiros, a Autoridade Portuária de Santos, que administra o Porto de Santos, informou que cerca de 80% dos navios atracados (40) operaram ontem (2) sem qualquer restrição. Os outros 20% operaram em menor escala, em virtude da cautela de transportadoras e embarcadores ‘diante do temor de represálias’.

COLUNISTAS

Com o objetivo de melhorar a sua experiência em nosso site, coletamos informações por meio de cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade

Ok